Today I Learned: Como funciona um kit de exame rápido

foto explicando um teste rápido de covid 19

Então eu decidi que ia criar um Today I Learned diretamente inspirado no subreddit com o mesmo nome porque a pior coisa ao se criar um blog é escrever um texto e depois mais nada, e a melhor forma de manter um blog ativo é escrevendo sempre. Claro que eu não vou pegar qualquer porcaria que eu veja na internet pra postar aqui, mas eu sempre aprendo coisas novas todos os dias, então está criada a série Today I Learned.

Para o primeiro post desta série eu vou contar pra vocês que hoje eu descobri como funciona um kit de exame rápido.

Não, não foi por causa desse bactéria filha da puta, micróbio do caralho que eu descobri como esse exame mostra se você pegou um vírus ou, em alguns casos, está vivendo em uma relação de parasitose humana causada por fornicação desprotegida – e não venha me encher o saco, uma gestação é exatamente isso sob alguns pontos de vista. Eu descobri porque meu melhor amigo, o Leo, adotou duas gatinhas recentemente, a Milka e a Tesla. O exame de FELV da Tesla deu um positivo bem fraquinho, e o Leo me disse que tinha um C e um T no exame.

Essa é a Milka:

Milka, a gatinha preta e branca

E essa é a Tesla:Tesla, a gatinha colorida

Okay, que raio de exame é esse que tem um C e um T?, eu me perguntei. Daí fui caçar no Grande Oráculo do Século XXI, o Google, e descobri coisas bem interessantes.

A explicação é basicamente a mesma pra exames em gatinhos ou em humanos. O kit é composto geralmente pelo teste em si, um tubo capilar para a captura da amostra, um tubo de ensaio com anticoagulante – que nem sempre é necessário – e algum diluente ou solução pra usar no teste.

foto explicando um teste rápido de covid 19

O princípio é o mesmo, então vai o teste do covid mesmo. Fonte: Cartilha de orientação de uso do teste rápido One Step COVID-2019

De posse da amostra, o profissional de saúde (humana ou felina) vai aplicá-la ali onde tá escrito “poço de amostra”, e vai colocar o diluente ou tampão ali onde tá escrito “poço do tampão”. Entre o poço de amostra e a janela de leitura tem o reagente que vai detectar se há presença de vírus ou não na amostra.

Mas Lise, por que tem um C e um T no teste?

Ora, querido leitor, precisamos ter algo que nos diga que o teste está funcionando, já que, pra ele dar certo, precisa ter algumas variáveis, e eu cito as duas que eu sei: amostra estéril, livre de contaminação por sujeira, e amostra suficiente pra detecção. Então o C no teste significa Controle, e é o que vai nos dizer que o teste funcionou. O T, como o caro leitor deve já suspeitar, significa Teste.

(O mais interessante é que em inglês funciona também, Control e Test)

Daí a gente tem essas variáveis aqui:

Resultados de teste rápido: positivo (duas linhas), negativo (uma linha no C), inválido (uma linha no T) e inválido (nenhuma linha)

Ou seje, o teste precisa necessariamente ter a indicação no C. Se não tiver, faz de novo. Se der ruim de novo, melhor descartar o lote porque deu ruim. Tem a indicação do C? Ótimo, olha a do T. Tem? Positivo. Não tem? Negativo.

E o teste de gravidez de UBS ou de farmácia funciona exatamente assim, mas em vez de sangue, a amostra é urina, e em vez de vírus, o teste detecta a presença de um hormônio chamado Gonadotrofina Coriônica Humana – sim eu escrevi isso de cabeça – e costuma ser bem certeiro.

No caso da Tesla, a gatinha fofa do Leo, o teste de FELV dela deu positivo, mas aquele risquinho do T tava bem fraquinho, o que, na opinião das duas veterinárias que a atenderam, é uma reação à vacina que ela tomou. Daí ela vai fazer exame de novo daqui uns dias.

E é isso aí. Isso foi o que eu aprendi hoje e resolvi contar aqui.

Update em 04/09: O segundo exame da Tesla deu negativo! \o/


Fontes consultadas:
http://www.tecsa.com.br/assets/uploads/files/Bula%20FeLV-FIV_Produto%20Importado.pdf
https://celer.ind.br/produto/celer-one-step-covid-19-test/
https://telelab.aids.gov.br/moodle/pluginfile.php/22183/mod_resource/content/2/Hepatites%20-%20Manual%20Aula%204.pdf
https://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2020/April/14/SARS-CoV-2-antibodytest.pdf
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/HIV_estrategias_testes_rapidos_brasil.pdf