Pular para o conteúdo

A síndrome do “escreve, escreve e apaga”

Eu já tentei começar alguns textos aqui neste blog nesses últimos dias e acabei apagando todos eles. Algo a ver com o “tom” do texto, a forma como eu comecei a escrever e o tema dos textos. Achei que ficou ruim, apaguei. De novo. escreve, escreve, achei que ficou ruim, apaguei. E de novo. Todos os textos tinham a ver com o que eu tava fazendo, não achei graça nenhuma como ficou.

E o que eu tava fazendo? Vendo a BBC porque a rainha da Inglaterra morreu.

Aliás faz três dias que eu tou assistindo coisa sobre isso. A BBC, ou documentário na GloboNews. Também li um artigo (mal escrito) no UOL sobre as rainhas que ainda existem no mundo. Nem vou linkar aqui, eu gosto de espalhar conteúdo de qualidade. Anyway, eu tava vendo tudo isso e também tava acompanhando o Twitter e a enxurrada de opiniões de todos os especialistas em realeza britânica que brotaram por lá.

Agora eu tô vendo o videotape da participação dos Mamonas Assassinas no Programa Livre pelo YouTube. O Dinho acabou de falar que não esperava fazer sucesso nenhum porque eles faziam música pra se divertir. Achavam uma coisa engraçada, iam lá e faziam um arranjo, e deu no que deu. Ainda acho que Deus deu uma vacilada federal naquele 2 de março de 1996 quando eles se espatifaram na Serra da Cantareira.

Pois bem, voltando à rainha e à BBC. O que tinha me dado vontade de escrever era que eu adorava viver no futuro, porque enquanto eu trabalhava estava com o streaming da BBC aberto, vendo em tempo real a equipe da emissora recebendo as notícias e lentamente trocando suas vestes; todo mundo tava de preto em questão de minutos. E enquanto a primeira-ministra recebia a notícia da morte da rainha e a operação London Bridge era posta em prática a equipe trazia todas as imagens da família real desembarcando na Escócia, e de repente puf! the queen is dead, long live the king. Em tempo real, sabe? Via streaming. É uma delícia viver no futuro, e era isso que eu queria escrever. Mas escreve escreve apaga, escreve escreve apaga, escreve escreve apaga aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa que merda.

Eu queria saber que mania é essa de blogueiro velho de ficar querendo escrever o melhor texto, quando a gente sabe que o melhor texto é o que é escrito. Que saco.

E sobre viver no futuro, eu acabei de voltar ao passado pra ver o Globo Repórter de 8 de março de 1996, que homenageou os Mamonas Assassinas. Tá aqui, ó:

%d blogueiros gostam disto: